Thiago Zavaschi R2 www.zavaschi.com

14Nov/092

Novidades do SQL Server 2008 R2 – Parte I – Application and Multiserver Management

Pessoal, essa nova série de artigos técnicos será dedicada ao SQL Server 2008 R2. A minha intenção é apresentar uma novidade do R2 em cada um dos artigos.

Antes de começar a falar cobre o Utility Explorer, vamos as novidades presentes no SQL Server 2008 R2, lembrando que estamos no segundo CTP (saíram CTP’s de Agosto e de Novembro, este último há aproximadamente uma semana).

No CTP que acabou de sair temos as seguintes novas features (em inglês):

  • Support for Windows Server 2008 R2, including Hyper-V with Live Migration
  • Enhanced data compression with support for Unicode UCS-2
  • PowerPivot for Microsoft® Excel and Microsoft SharePoint Server (o plugin ainda não está disponível, quando estiver avisarei!)
  • Report Builder 3.0 with Report Part Gallery and new visualizations (sparklines, databars)
  • Master Data Services (MDS)

E no CTP de Agosto temos inclusas as seguintes features:

  • A Control Point Explorer in SQL Server Management Studio for central multi-instance and application utilization management.
  • Built-in wizards to help you quickly set up and enroll instances and Data-Tier Application components into central management.
  • Dashboard viewpoints for quick insight into application and instance utilization.
  • StreamInsight core technology engine for Complex Event Processing.

Tenho que confessar, estou “babando” sobre essa nova versão do SQL Server. São tantos recursos novos que eu acho que poderiam até chamar de “SQL Server 2010”. :)

Mas vamos ao que interessa!

O SQL Server 2008 R2 possui uma nova dashboard para análise da instância e do servidor. Tal processo é feito, conforme veremos em detalhes, através de um processo que roda de tempos em tempos (pelo SQL Server Agent) alimentando uma warehouse específica. A partir dessa warehouse teremos os dados consolidados no dashboard que comentei. A seguir temos a imagem da arquitetura empregada pelo Utility Explorer (extraída do Books Online do CTP de Novembro). Os dados são coletados a cada 15 minutos. Não procurei para saber se é configurável, mas acredito que deva ser.

utility_BOL[1]

Para começar o processo de configuração e também para posteriormente acessar a dashboard, acesse através do menu View –> Utility Explorer.

utility[1]

Você agora deve criar um UCP – Utility Control Point em uma instância do SQL Server. Conforme a figura abaixo diz, será criada uma database no formato de data warehouse para armazenar os dados coletados referentes à(s) instância(s) do SQL Server, conhecida como utility management data warehouse (UMDW).

São 5 passos necessários para a configuração do UCP:

  1. Especificar a instância onde o UCP será criado.
  2. Especificar a conta que será resposável por executar o coletor das informações.
  3. Revisar os pré-requisitos necessários para a criação do UCP.
  4. Rever tudo o que foi marcado por você (se algo estiver errado, volte no wizard).
  5. E por fim, criar o UCP efetivamente.

utility2[1]

Seguindo no wizard temos a seleção da instância aonde será instalado/criado o UCP. Nomeie o UCP com um nome relativo ao servidor, ou a sua regra de negócio específica (Produção, Homologação e assim por diante).

utility3[1]

O passo seguinte é para especificar a conta responsável por coletar os dados.
Pode-se utilizar uma conta do windows ou a própria conta que é utilizada pelo SQL Server Agent.
Conforme veremos a seguir, é obrigatório que o Agent esteja rodando na instância, por isso que temos essa opção (que por um momento pode parecer estranha).

utility4[1]

No próximo passo temos a validação dos pré-requisitos necessários para a criação do UCP. São eles:

  • Você deve ter privilégios administrativos na instância do SQL Server.
  • A instância tem que possuir a versão 10.50.* ou superior. Perceba então que um UCP só pode ser configurado no SQL Server 2008 R2, uma vez que o SQL Server 2008 possui versão 10.0.*.
  • A edição do SQL Server tem que suportar a criação do UCP. No atual release (novembro) as edições do R2 para poder utilizar o recurso necessitam ser Data Center, Developer, ou Enterprise Evaluation. É provável que esse recurso não esteja disponível nas versões standard a serem lançadas, mas isso é oq ue eu acho, não temos referências quanto a isso no BOL.
  • A instância não pode ter outro UCP configurado.
  • Não pode ter uma database chamada sysutility_mdw. Pois a mesma será criada pelo processo (é a base responsável por armazenar a warehouse). Na minha opinião, isso não deveria ser um pré-requisito. O wizard deveria pedir por um nome da warehouse, principalmente para manter os padrões de nomenclatura já empregados pela empresa/organização.
  • Os conjuntos de coleções na instância selecionada devem ser parados.
  • O SQL Server Agent deve estar rodando e configurado para iniciar junto a inicialização do Windows (Automatic).
  • A conta do Agent não pode ser uma conta do tipo built-in.
  • A conta do Agent deve ser uma conta do windows válida no domínio onde se encontra a instância.

utility5[1]

Revise os dados de entrada.

utility6[1]

o próximo passo é a instalção e configuração efetiva do UCP, aguarde todos os itens terminarem e pronto!

utility7[1]

Já podemos observar a dashboard com as informações disponíveis. O que é possível analisar através dessa dash, deixarei por conta de um próximo post.

As imagens a seguir mostram o UCP recém configurado (reparem no “No Data Available”), e no mesmo UCP alguns dias depois (reparem na parte que analisa os dados históricos), respectivamente.

utility8[1]

dash_utility[1]

---

Bacana né?

Por ser muito recente e o SQL Server 2008 R2 ainda estar em versão CTP (Community Technical Preview) não tenho informações de cases ou do comportamento da análise. Por isso resta confiar no que é dito no books online apenas (em inglês).

  • We recommend that the UCP is hosted by a case-sensitive instance of SQL Server.
  • Consider the following recommendations for capacity planning on the UCP computer:
    • In a typical scenario, disk space used by the sysutility_mdw database on the UCP is approximately 2 GB per managed instance of SQL Server per year. This estimate can vary depending on the number of database and system objects collected by the managed instance. The sysutility_mdw disk space growth rate is highest during the first two days.
    • In a typical scenario, disk space used by msdb on the UCP is approximately 20 MB per managed instance of SQL Server. Note that this estimate can vary depending on the resource utilization policies and the number of database and system objects collected by the managed instance. In general, disk space usage increases as the number of policy violations increases and the duration of the moving time window for volatile resources increases.
    • Note that removing a managed instance from the UCP will not reduce the disk space used by UCP databases until expiration of data retention periods for the managed instance.

In this release, all managed instances of SQL Server must satisfy the following requirements:

  • We recommend that if the UCP is hosted by a case-insensitive instance of SQL Server, then managed instances of SQL Server should also be case-insensitive.
  • FILESTREAM data are not supported for SQL Server Utility monitoring.

“ – Trecho extraído do BOL do CTP de novembro do SQL Server 2008 R2.

--

Bom pessoal, era isso que eu queria mostrar no artigo de hoje. Na minha visão o uso deste recurso tem tudo para dar certo e ter uma aceitação em larga escala para análise de diversas instâncias/aplicações. Eu particularmente gostei bastante!

Abraços a todos!
Thiago Zavaschi

Comments (2) Trackbacks (0)
  1. Muito boa essa funcionalidade… cada vez mais aparecem novidades para estudarehehehe
    Abraço,

  2. Falei que ia ver se o tempo da coleta de dados era configurável. A princípio não é. Pelo menos neste CTP!
    Abraços,
    Thiago


Leave a comment


No trackbacks yet.